cirurgia
Comportamento

Quais são as cirurgias mais realizadas no Brasil? Os perigos e as novidades?

A beleza e por conseguinte a estética estão diretamente ligadas à cultura de uma sociedade. Até os anos 80 a sociedade brasileira se espelhava na cultura francesa. Por isso a cirurgia mais procurada era a redução mamária. A partir dos anos 90, o Brasil se americanizou e a prótese mamária, ou seja, o aumento dos seios passou a ser a segunda cirurgia mais feita no país. Adivinha qual é a primeira? Todas essas informações vêm da entrevista com o cirurgião plástico brasileiro, José Ricardo Simões, para E você : quais são as cirurgias mais realizadas no Brasil, os possíveis perigos, as novidades em termos de rejuvenescimento facial, dentre muitas outras coisas…

Segundo José Ricardo no ano passado, 2014, o Brasil superou os Estados Unidos no número de implantação de próteses, tornando-se o primeiro país do mundo nessa categoria. As próteses mais usadas são: a mamária e a de glúteo. O porquê podemos nos perguntar: Porque os brasileiros, principalmente os cariocas usam pouca roupa durante o ano e se preocupam com a estética corporal? Porque somos um povo narciso? Superficiais? Porque os homens dão muito valor ao volume dos seios e ao do bumbum? Para responder ao porquê precisaria fazer uma pesquisa sociológica, entrevistando várias pessoas de segmentos diferentes. Mas este não é o propósito deste post. Talvez será de um próximo.

Há dois tipos de cirurgia plástica: a reparadora e a estética. Fui ao encontro de José Ricardo para entender um pouco mais sobre o assunto.

José Ricardo Simões

José Ricardo Simões

Alessandra para E você: Quando decidiu ser cirurgião plástico?

Aos nove anos de idade ao descobrir no programa da Hebe Camargo um cirurgião que contou uma história de umas crianças que tinham perdido o pai e a mãe. Elas tinham vergonha de ir para escola com a avó por ela ser velha. Esse cara fez uma cirurgia nessa vovó que ficou super nova. Daí as crianças ficaram super orgulhosas da avó. E todos diziam nossa a sua avó é tão nova…
Mais tarde descobri os “Livros da Vida”, que eram vendidos por fascículos. E me encantei com o do Pitanguy falando sobre plástica.

Alessandra para E você: Existem casos do paciente não gostar do resultado. E o que acontece? 

Em um primeiro momento, você precisa analisar bem o que o paciente quer e ver se é possível. Ele não pode chegar pedindo um nariz assim e achando que o nariz dele vai ficar igual ao do retrato. Pois existem várias coisas que entram em jogo, a pele, os ossos, a morfologia… Hoje em dia existe uma doença muito importante que faz com que o indivíduo nunca esteja satisfeito com a imagem dele. Ele vai se viciar na plástica, porém a plástica nunca vai curar essa doença. Neste caso é preciso um tratamento psicológico. Brincamos em dizer que não podemos fazer plástica no cérebro.

O cirurgião precisa também saber dizer não. Uma paciente virou pra mim e disse “eu quero fechar os olhos e acordar magrinha”. Eu levantei, a cumprimentei e disse: se você encontrar alguém que faça essa mágica me avisa eu também quero!

Eu brinco dizendo que existem 5 tipos de cirurgia:
1- A cirurgia que você faz, você gosta e o paciente gosta
2-A cirurgia que você faz, você gosta e o paciente não gosta
3- A cirurgia que você faz, você não gosta e o paciente gosta
4- A cirurgia que você faz, você não gosta e o paciente não gosta
5-A cirurgia que você faz, você gosta, o paciente gosta, mas quando você leva para o congresso tem sempre um colega que acha um defeito.

Entre a cirurgia estética e a reparadora, eu prefiro a reparadora, pois o paciente sempre vai ser agradecido pelo resultado. Mas infelizmente não dá para viver de cirurgia reparadora no Brasil.

Essa profissão às vezes é estressante. Há certas coisas que dão errado. Em alguns casos, o paciente não toma certos cuidados, tira o curativo antes do tempo, faz movimentos que não deveria ter feito…

Alessandra para E você: Quais são as cirurgias mais praticadas no Brasil?
O que se mais se faz no Brasil é a estética.
1°lugar é a lipoaspiração.

2° a colocação de prótese (a mamária e a de glúteo, sendo a mamária a mais importante).

Existe também uma cirurgia que é a lipoescultura. Tira a gordura onde ela está demasiada e injeta no glúteo. Uma prática atualmente muito usada.

Alessandra para E você:  Quais são as técnicas para rejuvenescer o rosto? 

O mais usados são os peelings e a grande coqueluche do momento é o laser de CO2 fracionado. Mas eu uso outro aparelho que ainda não é de uso comum e estou nessa dianteira. Eles começaram com o dermaroller que é um rolinho cheio de agulhas de tatuagem (estimulação puntiforme cutânea). Este vai fazendo furinhos e não queimando como o laser. Agora tem o dermapen, um aparelho que você coloca uma ponteira descartável que tem de 12 a 36 agulhas.  Ele vai girando subindo e descendo até 7 mil giros de velocidade, vai perfurando a pele e fazendo um estímulo puntiforme. Assim a pele rejuvenesce, reduz a acne, tira mancha, tira cicatriz…

Alessandra para E vocêé dolorido?

Eu uso uma pomada anestésica. A dor se torna suportável.

Alessandra para E você: E o botox?

O botox se faz há muito tempo no Brasil. Aqui até dentista faz. Porém em certos casos, eu sou a favor do bisturi. Ainda é o melhor remédio, pois levanta as estruturas internas e estica a pele.

Alessandra para E você: Quais são os perigos em geral ?

Muitas vezes não é a técnica que é ruim, mas as mãos que estão segurando os instrumentos. Hoje, o número de óbitos que se tem pela quantidade de cirurgias que se faz é ínfimo.
Agora tem aqueles médicos que decidiram mudar de ramo e passar a ser cirurgião sem ter se especializado. Normalmente são seis anos de medicina, dois de de cirurgia geral e três de plástica. Aí tem otorrino ou ginecologista fazendo plástica. Eu já peguei muitas próteses mal colocadas e cirurgias mal feitas. Infelizmente não se tem uma regulamentação nesse sentido aqui no Brasil.

Problemas com prótese:

Existem três marcas de próteses nos USA. No Brasil tem dezesseis marcas de vários lugares do mundo:  da Suécia, da Bélgica, da França, da Suíça… e do Brasil. O que torna o controle muito mais difícil. O Inmetro agora passou a exigir testes. Ele criou uma metodologia de pesquisa. Mas mesmo assim algumas próteses sem qualidade circularam no Brasil. Houve problemas com uma alemã, uma francesa e a última foi com uma Belga. Elas se rompiam, rodavam…

Agora a sociedade de cirurgia plástica está querendo limitar e regulamentar, fazendo um cadastro nacional, para poder ter uma base de referência.

Obrigada José Ricardo Simões por todos esses esclarecimentos.

E você? O que achou?

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply